Militar

Drone da FAB cai em voo de apoio às vítimas das enchentes no RS

Uma Aeronave Remotamente Pilotada (ARP) da Força Aérea Brasileira (FAB) caiu e colidiu com o solo em área desabitada nesta terça. O drone estava sendo usado para auxiliar no resgate de isolados após os temporais que atingiram o Rio Grande do Sul desde o fim de abril.

“Uma Aeronave Remotamente Pilotada (ARP), da FAB, que é empregada nas missões de apoio aos atingidos pelas enchentes no Rio Grande do Sul, apresentou durante sua operação um problema técnico e veio a colidir com o solo, em região desabitada, nesta terça-feira (07/05).A Força Aérea informa que o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) vai investigar os fatores contribuintes da ocorrência aeronáutica”, diz a nota da FAB.

O modelo israelense RQ-900 — aeronave não tripulada e pilotada remotamente — pertence à Base de Santa Maria e vai sobrevoar locais atingidos em busca de pessoas em situação de risco. Esse modelo pode voar por 36 horas sem precisar reabastecer e atinge altitudes de até 9 mil metros (30.000 pés). O drone já tinha ajudado a resgatar 36 pessoas em apenas 24 horas de voo.

Como o drone RQ-900 estava sendo usado?

Ao ver o drone ou ouvir o seu som, pessoas em situação de isolamento ou risco são orientadas a sair dos abrigos, sinalizar ou fazer marcas em alguma superfície, para que a aeronave identifique o local e acione o resgate. Os voos acontecerão na região da Quarta Colônia.

Segundo a FAB, o uso do equipamento possibilitava análises em tempo real com alta precisão das áreas expostas. Assim, o trabalho de mapeamento e modelagem é facilitado.

Fonte: G1

To Top