Militar

Força Aérea Brasileira comemora 40 anos da aeronave T-27 Tucano

Fundamental para a formação dos cadetes da Força Aérea Brasileira (FAB), a aeronave T-27 Tucano completa quatro décadas de operações na FAB. A cerimônia alusiva aos 40 anos da chegada dos T-27 à Academia da Força Aérea (AFA) foi realizada nessa segunda-feira (20/11), em Pirassununga (SP).

Para celebrar o momento histórico, uma das aeronaves da AFA recebeu uma pintura especial que foi apresentada ao público pela primeira vez na cerimônia.

O T-27 Tucano com a pintura comemorativa dos 40 anos de operação na FAB foi pilotado pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno, e pelo Chefe da Divisão de Operações Aéreas da AFA, Tenente-Coronel Aviador Marcelo Guimarães Resende.

Em voo comemorativo, o T-27 Tucano foi escoltado pelas aeronaves do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) – mais conhecido como Esquadrilha da Fumaça, que por mais de três décadas utilizou o T-27 em suas demonstrações.

Durante o voo, o Tenente-Brigadeiro do Ar Damasceno comentou via fonia sobre a experiência de pilotar a aeronave homenageada. “É um prazer muito grande fazer parte desse momento, nessa aeronave que formou grande parte dos nossos aviadores, praticamente todos. Voar essa máquina é uma sensação maravilhosa. Parabéns a todos. É um grande prazer. Somos todos Força Aérea”, disse.

Ao regressar do memorável voo a bordo do T-27, o Comandante da Aeronáutica destacou a relevância histórica do Tucano e imbuída do propósito de estar à vanguarda das inovações não só doutrinárias, como tecnológicas.

“Celebrar quatro décadas do ingresso desse avião de fabricação brasileira em nossa honrada Instituição, reconhecendo que, agora modernizado, continuará a exercer seu fundamental papel na formação dos futuros Oficiais Aviadores, é motivo de orgulho para a nossa Força Aérea”, frisou.

O evento contou, ainda, com a presença do Comandante de Operações Aeroespaciais (COMAE), Tenente-Brigadeiro do Ar Hudson Costa Potiguara; do Comandante-Geral do Pessoal (COMGEP), Tenente-Brigadeiro do Ar Ricardo Reis Tavares; do Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Tenente-Brigadeiro do Ar Maurício Augusto Silveira de Medeiros, entre outros Oficiais-Generais e convidados.

Dando continuidade aos eventos comemorativos, houve, ainda, o descerramento da Medalha Simbólica alusiva aos 40 anos de excelentes serviços prestados pelo T-27 na formação dos pilotos militares.

Na ocasião, ocorreu, também, uma homenagem da Embraer ao Comando da Aeronáutica. Além disso, a Academia da Força Aérea entregou um troféu ao piloto da FAB, na ativa, com mais horas de voo (4.344 horas) no T-27 Tucano: o Comandante-Geral do Pessoal, Tenente-Brigadeiro do Ar Ricardo Reis Tavares. “É uma surpresa muito grande. Uma emoção. Toda a minha história na FAB como aviador foi praticamente no Tucano. Então, eu tenho um carinho muito grande por essa aeronave porque voei na Força Aérea nas asas do Tucano na maioria das minhas horas de voo”, celebrou o Oficial-General.

Em seu discurso, o Comandante da AFA, Brigadeiro do Ar Marcello Lobão Schiavo ressaltou a evolução da aeronave. “Hoje o “quarentão” T-27 segue cada vez mais forte e resiliente, superando todos os desafios e intempéries. Permanece como um ícone da indústria aeronáutica brasileira e um orgulho para a Academia da Força Aérea, que tem o privilégio de formar seus pilotos em um dos melhores aviões de treinamento do mundo, agora modernizado”, sublinhou.

História

Fruto de uma parceria entre a Embraer e a FAB nos anos 80, o Tucano surgiu da necessidade da FAB de substituir a antiga aeronave de treinamento T-37, que era utilizado na instrução avançada da formação de pilotos na Academia da Força Aérea. Nascia assim uma máquina com desempenho notório e reconhecida internacionalmente.

O “Embraer 312 Tucano” é um dos melhores treinadores militares do mundo, sendo um sucesso de vendas, com 637 exemplares produzidos. Ele entrou em serviço em setembro de 1983 na FAB e já foi exportado para diversos países, como Angola, Argentina, Colômbia, Egito, França, Honduras, Inglaterra, Irã, Iraque, Paraguai, Peru e Venezuela.

Em 29 de setembro de 1983, a FAB recebeu os primeiros oito exemplares, sob matrículas 1303 a 1310. As aeronaves foram distribuídas para o Primeiro Esquadrão de Instrução Aérea, na AFA, e para o Esquadrão de Demonstração Aérea, marcando a reativação da Esquadrilha da Fumaça. O primeiro avião a pousar na AFA foi o FAB 1303, primeiro T-27 da Força Aérea Brasileira. Na ocasião, os pilotos eram o Tenente-Brigadeiro do Ar Délio Jardim de Mattos, Ministro da Aeronáutica à época, e o então diretor do CTA, Major-Brigadeiro do Ar Lauro Ney Menezes.

Modernização do T-27

Em dezembro de 2021, foi dado início a uma nova era na formação dos futuros aviadores da FAB, com a entrega das primeiras aeronaves T-27 modernizadas, equipadas com um sistema aviônico capaz de preparar os cadetes da AFA para as modernas aeronaves de todas as aviações da Força Aérea, ressaltando o alto grau de competência e de profissionalismo dos integrantes da Força Aérea Brasileira.

Fonte: FAB – Fotos: Tenente Inforzatto / AFA, Sargento Viegas / CECOMSAER, Soldado João Oliveira / AFA e Soldado Adher / AFA

Clique para comentar

Deixe um comentario

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top