Aeroportos

Pista do Aeroporto de Salvador passa por obra devido buracos

Atualizado 13/2 as 12h27 – A pista principal do Aeroporto de Salvador ficou inoperante desde as 16h de terça (11) por conta de buracos. De acordo com a Vinci Airports, que administra o terminal aéreo, foi preciso fazer uma “manutenção preventiva” no local. Por causa disso, alguns voos precisaram ser cancelados, remarcados ou redirecionados para outras cidades, já que não era possível pousar e nem decolar. A pista foi liberada por volta das 20h10.

Ainda segundo a Vinci, o fluxo da pista precisou ser interrompido para garantir a segurança das aeronaves e passageiros e, por isso, o aeroporto ficou operando com extensão reduzida, somente com a pista auxiliar, que comporta aviões menores.

Em nota, a Vinci Airports informou que, durante o trabalho, notaram que a área de isolamento para o reparo da pista precisaria ser aumentada, o que dificultaria o trânsito de aeronaves. “Para garantir a segurança das operações e dos passageiros, a concessionária optou por interromper o fluxo na pista até a conclusão do serviço. Com isso, a maior parte dos voos domésticos está sendo direcionada para a pista auxiliar (17/35), que opera normalmente”, diz o texto.

As companhias foram avisadas do ocorrido e a orientação do terminal foi de que os passageiros verificassem o status dos seus voos junto às empresas. Em nota, a Gol diz que por conta da paralisação, teve 5 voos alternados e 6 cancelados até 19h25. A Azul diz que um voo Campinas-Salvador alternou para Maceió e aguardava autorização para retornar. Os guichês das companhias ficaram com filas e as pessoas decidiram sentar e aguardar as definições. Quando a pista finalmente foi liberada, o fluxo foi normalizando aos poucos com as saídas de aeronaves.

Confira posicionamento da Latam e Azul:

A LATAM Airlines Brasil informa que, devido a restrições operacionais na pista principal do Aeroporto Internacional de Salvador, na tarde de ontem (11), fato completamente alheio ao controle da companhia, 15 voos da companhia com origem ou destino à localidade foram impactados, sendo 12 cancelados e três alternados para os aeroportos de Aracajú, Maceió e Porto Seguro.

A companhia prestou a assistência necessária e providenciou a reacomodação dos passageiros impactados nos próximos voos disponíveis entre ontem a noite e ao longo do dia de hoje (12). Por fim, a companhia reitera que a segurança é um valor imprescindível e, sobretudo, todas as suas decisões visam garantir uma operação segura.

Também em nota, a companhia área Azul disse que um voo que vinha de Campinas para Salvador foi alternado para a cidade de Maceió. O avião aguarda a liberação da pista para retornar ao aeroporto da capital baiana. A Azul comunicou ainda que está prestando a assistência necessária aos clientes e lamenta os aborrecimentos causados.

Concessionária notificada

Após os problemas causados por buracos na pista principal do Aeroporto de Salvador, a Coordenadoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Codecon) notificou, na manhã de quarta (12), a empresa administradora do terminal, a Vinci Airports, e também três companhias aéreas para que prestem esclarecimentos sobre falta de assistência aos consumidores que tiveram voos cancelados. Além de terem sido notificadas, Gol, Azul e Latam foram autuadas.

De acordo com a Codecon, a Vinci foi notificada por falta de informação prévia sobre a manutenção da pista. Em nota, a concessionária disse que as companhias aéreas foram informadas com antecedência sobre os reparos preventivos e que houve um encurtamento da pista principal que levou à interdição total da via na tarde desta terça (11). A empresa justifica que a situação não era esperada e tornou-se emergencial, não sendo possível emitir comunicado prévio.

De acordo com a Vinci, foram cancelados 14 voos durante o intervalo de fechamento da pista, que começou às 15h52 e se estendeu até às 20h11. A concessionária afirmou que a pista principal opera normalmente na quarta (12).

A Vinci declarou ainda não foi notificada oficialmente pela autarquia, mas que segue à disposição para prestar os esclarecimentos necessários. Na nota, a administradora também diz que as companhias aéreas foram avisadas para que as suas operações fossem adequadas à capacidade da pista auxiliar, que comporta aviões menores. “A concessionária orientou os passageiros a verificar o status de seus voos antes de se dirigirem ao aeroporto”, acrescenta a Vinci.

A Codecon divulgou, também em nota, que enviaria fiscais do órgão para o aeroporto a fim de coletar denúncias dos consumidores. Roberta Caires, diretora do órgão, disse que entende que não houve razoabilidade no tratamento dados aos consumidores, pois não teriam sido respeitados os direitos determinados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

“O direito à informação não está sendo respeitado. Após 4 horas, os consumidores têm direito a hospedagem, traslado do aeroporto-hotel-aeroporto. Na primeira hora, têm direito a alimentação. É constrangedor ver crianças dormindo no chão, sem ter a hipervulnerabilidade delas, prevista no Código de Defesa do Consumidor, respeitada”, declarou a diretora.

A concessionária do aeroporto informou que a ocorrência não têm relação com a reforma feita pela Concessionária no final do ano passado. Ainda de acordo com a Vinci, estudos preliminares indicam que mudanças de fluxo dos lençóis freáticos, que ocasionam infiltrações no solo, resultaram em pequenas degradações em uma das cabeceiras da pista.

Entre as hipóteses para o aparecimento de buracos na pista estão a chuva excessiva, a reacomodação do solo, as mudanças no sistema de drenagem, a supressão de canais, a perfuração de poços ou outra interferência no sítio aeroportuário ou nas região que possam ter levado a uma alteração não intencional no caminho das águas por debaixo do solo.

Após o ocorrido, a concessionária intensificou o monitoramento dos pavimentos para identificar qualquer irregularidade que possa comprometer o funcionamento do aeroporto. “A Vinci contratou uma empresa internacional, especializada em avaliações profundas de terrenos que mapeou todo a área de pistas, taxiways e pátios do aeródromo. Com o resultado destas análises, somadas aos estudos que estão sendo realizados por especialistas brasileiros, o aeroporto terá subsídios mais precisos a respeito das causas e suas soluções definitivas”, informou a concessionária em nota.

Fonte: Correio 24h

Clique para comentar

Deixe um comentario

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top