Aeroportos

Prefeita sanciona lei que recomenda citarem voos em Várzea Grande e não Cuiabá

A lei que recomenda as companhias aéreas a mencionarem durante os voos que a chegada, no Aeroporto de Várzea Grande, região metropolitana, e não em Cuiabá, como acontece atualmente, foi sancionada pela prefeita Lucimar Campos (DEM), na semana passada.

A lei prevê que, após o pouso, o comandante diga a seguinte frase: “Senhoras e senhores sejam bem-vindos a Várzea Grande (…) Por medidas de segurança mantenham-se sentados até que o aviso para desatar os cintos seja desligado”.

O projeto, de autoria do vereador Rogério França Martins (PV), já havia sido aprovado pela Câmara de Vereadores em novembro de 2019.

O objetivo, conforme o projeto, “é manter a identidade do município de Várzea Grande aos que aqui chegam ou passam”. Além disso, ressalta que a citação da forma como é feita hoje é enganosa.

A justificativa apresentada pelo autor do projeto cita que há vários anos existe uma discussão no município sobre o motivo pelo qual, quando uma aeronave comercial de passageiros pousa no aeroporto, o comandante anuncia que o destino é a cidade de Cuiabá.

Confira a nota na íntegra:

As Secretarias Municipais, de Governo, Comunicação Social e a Procuradoria Geral do Município, em relação ao pedido de esclarecimento deste conceituado órgão de informações a respeito à sanção da Lei 4.534/2019, originária da Câmara Municipal de Várzea Grande, esclarece:

Lei de iniciativa do Poder Legislativo Municipal, recomenda as empresas detentoras de voos com destino ao Aeroporto Marechal Rondon, que informem, noticiem aos passageiros estarem os mesmos, chegando ao referido aeroporto localizado no município de Várzea Grande na Região Metropolitana de Cuiabá;

Mesmo existindo dúvidas quanto a referida eficiência e eficácia da proposta dos nobres vereadores, entendeu o Poder Executivo que a recomendação de que se noticie aos passageiros que seu destino é ao Aeroporto Marechal Rondon localizado no município de Várzea Grande que faz parte da Região Metropolitana da Capital de Mato Grosso, Cuiabá, visa apenas e tão somente valorizar a cidade que procura fomentar o turismo e suas riquezas, até mesmo como município vizinho ao Pantanal Mato-grossense, a Chapada dos Guimarães entre tantas outras riquezas existentes;

Inclusive o próprio Poder Executivo Municipal já havia defendido junto a Infraero, que a partir de 2020, deixa a gestão do Aeroporto Marechal Rondon, para o Consórcio Aeroeste, formado pelas empresas Socicam e Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico Ltda (Sinart), que fizessem uma recomendação para que os voos identifiquem o Município de Várzea Grande como sede do Aeroporto Marechal Rondon e destino de final de muitos.

O Poder Executivo de Várzea Grande entende que todo o esforço dos Poderes Constituídos que visem melhorar a cidade e tornar a mesma mais conhecida só ajuda e em nada prejudica qualquer outro interesse, como se presencia em grandes Aeroportos como o de Minas Gerais em Confins – Região Metropolitana de Belo Horizonte; o do Estado do Paraná, em São José dos Pinhais na Grande Curitiba; o do Estado do Rio Grande do Norte, na cidade de Parnamirim na Grande Natal e o do Estado de Pernambuco que fica na divisa da capital Recife e a cidade de Jaboatão dos Guararapes.

A intenção do Poder Executivo assim como do Legislativo foi simplesmente ver reconhecida a cidade como sede do Aeroporto Marechal Rondon que caminha a passos largos para se transformar em internacional, o que seria importante para a segunda maior cidade de Mato Grosso e em nada prejudicaria sua coirmã, a capital do Estado, Cuiabá.

Fonte: MT Agora

Clique para comentar

Deixe um comentario

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top