Geral

Video: Avião pega fogo em pista de resort na Bahia

Atualizado 20h33 – O Cessna 550 Citation II matrícula PT-LTJ pegou fogo após o pouso na pista do resort Kiaroa Eco-Luxury na tarde desta quinta (14) em Barra Grande, distrito de Maraú, na região sul da Bahia, distante cerca de 345 km de Salvador. Segundo informações da assessoria de comunicação da prefeitura da cidade, o acidente ocorreu pouco depois das 14h e deixou uma pessoa morta e outras nove ficaram feridas, entre elas uma criança.

A aeronave decolou do aeródromo de Jundiaí (SP), às 11h, com destino a Maraú, segundo informações da Voe SP, que administra o terminal, e da Força Aérea Brasileira (FAB).

Vítimas

Os feridos foram encaminhados, inicialmente, para um posto de saúde de Barra Grande. Entre as vítimas feridas está Eduardo Mussi, irmão do deputado federal Guilherme Mussi. A mulher de Eduardo, Maísa Marques Mussi, também estava no jato e ficou ferida. A irmã dela, que não teve idade e identidade reveladas, morreu no acidente. O filho dela, uma criança de seis anos, também está entre os feridos.

Os feridos foram trazidos para Salvador em um avião com capacidade para 8 passageiros e dois helicópteros, ambos do Grupamento Aéreo da Polícia Militar da Bahia (Graer). Cinco vítimas estão no Hospital Geral do Estado (HGE), três no Hospital Municipal de Salvador e uma no Hospital do Subúrbio.

O ex-piloto Tuka Rocha, de 30 anos, teve 80% do corpo queimado e foi transferido para o Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador, durante a madrugada, segundo a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). O hospital é referência no tratamento de queimaduras.

Além dele, outros cinco sobreviventes estão internados no hospital: Fernando Oliveira Silva, de 26 anos; Marrie Cavelan, de 27 anos; Eduardo Trajano Telles Elias, de 38 anos e Eduardo Mussi.

Foto: Tiago Resende

Relatos

De acordo com o empresário Tiago Resende, que testemunhou o acidente, um forte estouro foi ouvido antes da aeronave cair.

“Quando eu vi, tinha uma pessoa correndo, na pista, meio queimada. Não sei dizer se ela estava na aeronave, funcionários do Kiaroa prestavam os primeiros atendimentos de emergência na pista”, disse.

O pescador Ronaldo Amaral disse que viu o momento em que a aeronave deu uma volta no ar e depois começou a cair.

“Eu estava pescando e vi o avião passando por cima de mim. Ele fez uma volta bem rápida e, depois, voltou para a pista. Em questão de segundos a fumaceira subiu”, destacou.

Silvia Almeida, que mora em Barra Grande, também disse ter visto o momento da queda do avião.

“Eu estava passando pela praia de Taipu de Dentro e vi. Aí eu fui pra perto e comecei a filmar. Eu só não sei dizer se morreu alguém”, relatou.

Investigação

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que equipes da Delegacia Territorial de Maraú realizam os levantamentos iniciais para apurar a queda do avião.

A FAB disse que investigadores do Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA II), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), irão se deslocar para realizar a Ação Inicial da ocorrência envolvendo a aeronave.

Conforme a FAB, a Ação Inicial é o começo do processo de investigação e possui o objetivo de coletar dados: fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos.

A investigação realizada pelo CENIPA, explica o órgão, tem o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram.

“A necessidade de descobrir todos os fatores contribuintes garante a liberdade de tempo para a investigação. A conclusão de qualquer investigação conduzida pelo CENIPA terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade do acidente”, informa trecho da nota divulgada pela FAB.

Fontes: G1 / Metro / R7

Clique para comentar

Deixe um comentario

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top