Radar Aéreo - Forum de discussões

 
Avatar do usuário
radaraereo
Site Admin
Tópico Autor
Mensagens: 1225
Registrado em: Sex Dez 09, 2016 4:33 pm

Gol - Notícias

Ter Mai 26, 2020 12:33 pm

Destino dos Boeing 737-700 da GOL

Imagem

Quando anunciou seus resultados trimestrais, a GOL Linhas Aéreas Inteligentes divulgou uma grande quantidade de informações sobre seus planos futuros, acordos com a Boeing e manutenção de aeronaves em sua frota. Uma dessas novidades chamou bastante a atenção.

Como resposta à pandemia da covid-19, que vem varrendo o setor aéreo mundo afora, a empresa aérea entende tomou algumas decisões relacionadas ao seu tamanho, haja visto que o “rebote” do pós-crise deve demorar anos e a demanda por viagens não deve reaquecer tão cedo.

Desta maneira, além de cancelar e postergar entregas dos Boeing 737 MAX, a empresa também espera reduzir uma parte do que já tem. E, nesse pacote de despedidas podem estar os seus vinte e três 737-700.

Frota de aeronaves

No final do primeiro trimestre de 2020, a diminuição na quantidade de aeronaves estava na casa de 6% para com relação ao final de 2019, ou seja, de 137 para 131 aeronaves. A variação pequena mostra que, naquele momento, a aviação ainda não havia sido fortemente afetada pelo surto do coronavírus no Brasil.

Os números de abril e do segundo semestre, quando divulgados, darão uma visão melhor sobre qual forma que a frota deve tomar quando a pandemia reduzir sua velocidade de disseminação e os voos voltarem aos céus.

Com diversos contratos de leasing vencendo nesse ano e no próximo, a empresa tem flexibilidade de se desfazer de aviões menos eficientes no curto prazo.
Possível adeus ao 737-700

“Com sete aeronaves 737-800 retornando no 1T20 (as que foram arrendadas da Transavia e outras empresas) e outras previstas mais adiante, a GOL planeja devolver um total de 18 aeronaves em 2020 e pode retornar até 30 aeronaves em 2021-22. Dada a demanda mais suave esperada e a necessidade de custos menores por quilômetro / assento, a companhia está avaliando atualmente uma redução de frota focada em seus vinte e três Boeing 737-700 (15% do total de assentos)”, disse a empresa na conferência com investidores.

De acordo com o Aeromuseu, os 737-700 da GOL têm, em média, 16,5 anos. Um pertence à transportadora e os 22 restantes são arrendados de empresas de leasing.

A companhia aérea emprega essa, que é sua menor aeronave, em rotas domésticas, baseando-as principalmente em Guarulhos, Congonhas, Brasília, Santos Dumont e Belo Horizonte. A única rota internacional operada com o tipo é de São Paulo para Assunção, no Paraguai.

Fonte: AeroIN

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes