Internacional

Video: Maior avião movido a hidrogênio realiza primeiro voo

Em 23 de setembro de 2020, um avião de seis lugares Piper M-class modificado, que a ZeroAvia disse ser agora a maior aeronave movida a hidrogênio do mundo, decolou das instalações de pesquisa e desenvolvimento da empresa em Cranfield, Inglaterra, e completou um circuito padrão antes do pouso.

O último voo de teste segue o primeiro voo da empresa em junho de 2020 de uma aeronave elétrica em escala comercial no Reino Unido, quando uma aeronave semelhante com um motor totalmente elétrico levantou voo. Ambos fazem parte do projeto HyFlyer da ZeroAcvia para produzir não apenas um sistema de propulsão híbrido de hidrogênio / elétrico escalável que pode ser instalado em aeronaves convencionais e, posteriormente, novas fuselagens, mas também desenvolver a infraestrutura de hidrogênio necessária para alimentá-los.

O Projeto HyFlyer é financiado pelo governo britânico através do Innovate UK e do programa Aerospace Technology R&T liderado pelo Aerospace Technology Institute (ATI). A ZeroAvia diz que a tecnologia é escalonável em um curto espaço de tempo e a empresa espera ver aeronaves de 10 a 20 assentos entrando em serviço em três anos, versões de 50 a 100 assentos em 2030 e uma aeronave de 200 assentos com alcance de mais de 3.000 nm (5.556 km) em 2040.

De acordo com a ZeroAvia, a próxima e última fase do projeto de desenvolvimento de seis assentos é conduzir um voo de 250 milhas (400 km) de emissão zero de um campo de aviação nas Ilhas Orkney ao norte da Escócia – uma distância equivalente à de Los Angeles para São Francisco ou Londres para Edimburgo.

Quando a tecnologia estiver madura, a ZeroAvia diz que o novo motor a hidrogênio pode resultar em aeronaves com custos operacionais, de combustível e manutenção mais baixos do que os aviões a jato. Junto com o motor, a empresa também desenvolveu o Hydrogen Airport Refueling Ecosystem (HARE) no Aeroporto de Cranfield, que é uma versão piloto da infraestrutura para apoiar a produção, armazenamento, reabastecimento e voo movido a célula de hidrogênio que a empresa irá usar para fornecer hidrogênio a seus clientes.

“É difícil colocar em palavras o que isso significa para nossa equipe, mas também para todos os interessados ??em voos com emissão zero”, disse Val Miftakhov, CEO da ZeroAvia. “Embora algumas aeronaves experimentais tenham voado usando células de combustível de hidrogênio como fonte de energia, o tamanho desta aeronave disponível comercialmente mostra que os passageiros pagantes poderão embarcar em um voo verdadeiramente zero de emissão muito em breve. Toda a equipe da ZeroAvia e de nossas empresas parceiras podem se orgulhar de seu trabalho nos levar a este ponto, e também quero agradecer aos nossos investidores e ao governo do Reino Unido por seu apoio.”

Embora a ZeroAvia diga que o Piper M-class é a maior aeronave movida a hidrogênio a ter voado, ele pode não manter esse título por muito tempo com empresas como a Universal Hydrogen e até mesmo grandes players como a Airbus optando pelo hidrogênio para alimentar futuras aeronaves.

Clique para comentar

Deixe um comentario

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top